quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Piolhos, mais vale prevenir do que remediar



Quando publiquei este post tive amigas a dizer-me "Que exagerada, é preciso ter já o repelente de piolhos de prevenção? Eu ri-me. A verdade é que nem duas semanas de escola passadas lá veio o panfleto do costume a informar que os infiltrados estavam de volta e era preciso verificar as cabecinhas.


Podem inserir todos os clichés sobre a Margem Sul aqui, porque a verdade é que em quatro anos de colégio, o do berçário foi o único ano em que o raio do panfleto não veio para casa. E os amigos da outra margem queixam-se igualmente. Mas cá por casa o máximo que tivemos foi meia dúzia de lêndeas que eu tratei de exterminar como se da maior ameaça à humanidade se tratasse. O miúdo treme até hoje quando vê o pente fininho...


O que é certo é que meia dúzia de lêndeas erradicadas numa noite em três anos não é um mau balanço, especialmente quando a isso adicionarmos que com o uso de repelente desde o primeiríssimo dia de escola, resistimos a mais uma vinda do panfleto para casa sem estar devidamente acompanhado das criaturas indesejadas. 

Portanto sim, até pode ser um exagero, mas o seguro morreu de velho! 

Sem comentários:

Enviar um comentário